Buscar
  • Néktar Design

O que o cheiro de livro tem a ver com neurovendas?

Quando eu era adolescente queria ser neurocientista cognitiva. A neurociência é o estudo do nosso cérebro. Mas isso porque vi um livro enorme numa livraria, maior que uma jaca, com um cérebro na capa, e comecei a folhear. O cérebro humano é tão complexo, e ao mesmo tempo a gente não precisa entender ele, porque ele simplesmente funciona!


O cérebro nos faz tomar decisões sem a gente perceber.

Neurovendas é quando a gente une neurociência ao marketing de vendas pra se aproximar dos clientes. E lembrando: Nós também somos clientes, não estamos falando “deles”, estamos falando da gente. A decisão de comprar ou não alguma coisa acontece no nosso subconsciente. E nos dias de hoje, com a quantidade de ofertas, nos importa cada vez mais como as empresas nos tratam e qual é o atendimento que vão nos dar, como vão nos envolver.


Buscamos uma troca, uma proximidade.

Quando a narrativa da marca traz uma história para o cliente, ela consegue estimular as emoções de quem tá do outro lado. Não pense que a pessoa tem empatia por algo que não interessa sua sobrevivência ou sua satisfação. Ontem eu comprei um livro. Não era de neurociência, era o Torto Arado, do Itamar Vieira Junior, que ganhou o prêmio Jabuti em 2020. Eu sabia que se entrasse na livraria ia comprar alguma coisa.


Além dos livros serem necessários pra minha sobrevivência, eu amo cheiro de livro.


Então, a gente se identifica com uma história sem se dar conta que está sendo conduzida à comprar um produto ou serviço. Isso é storytelling, um dos conceitos de neurovendas que nos ensina que as pessoas vão se lembrar mais de um produto ou conteúdo quando você trouxer emoção.

Por Giuliana Heberle

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo