top of page
Buscar
  • Foto do escritorNéktar Design

O design como ferramenta estratégica a fim de gerar valor para marcas

Atualizado: 5 de jul.

Uma reflexão sobre como a utilização do design no centro da estratégia pode valorizar a sua marca através de uma boa construção de branding voltada para a experiência do consumidor. 



Quando falamos em agregar valor para uma empresa, uma série de estratégias diferentes vem à nossa mente: campanhas, tráfego pago, promoções, e diversas outras táticas de marketing que possuem métricas bem definidas e identificadas por meio de um retorno financeiro significativo ou até mesmo através de engajamento.

 

Mas para além dessas ferramentas de impulsionamento de marca, já parou para pensar em como o design pode gerar mais valor para as empresas além da esfera do lucro financeiro? Se essa reflexão ainda não foi feita por aí, continue a leitura e entenda como o design pode trazer mais valorização de forma significativa para a sua empresa.

 

Antes de prosseguir e elucidar como a aplicação do design pode valorizar marcas e empresas, precisamos compreender que o significado de ‘gerar valor’ vai muito além dos números ou cifrões. Quando utilizamos a expressão ‘valor de marca’, queremos transmitir uma proposta de valia que o design pode agregar, indo além dos produtos e do preço que são atribuídos em uma empresa, considerando a experiência dos clientes com a marca, e as estratégias de branding trabalhadas para trazer como centro de seu senso de valor. Para resumir: toda a gestão de marca trabalhadas ao longo do tempo a partir do design.

 

Um termo debatido desde 1983 e que explora mais profundamente o senso de valor de marca a partir de suas estratégias de branding é o Brand Equity, conceito que defende a ideia de como o valor gerado da marca impacta no modo como os consumidores pensam, sentem e agem em relação às marcas, seus produtos e seus preços, além da participação de mercado e na lucratividade de negócio.

 

Dentro disso, o design possui cada vez mais espaço e peso nesse processo de desenvolvimento de branding ao elaborar serviços, produtos e identidades de marcas com mais autenticidade e qualidade, sendo uma ferramenta estratégica ideal para apoiar na construção e gestão de uma marca que deseja se fortalecer no mercado.

 

Abaixo, listamos alguns benefícios do design para as empresas:


Para entender melhor na prática como o design pode contribuir para o sucesso e reconhecimento de sua empresa, precisamos imaginar um cenário hipotético onde temos 10 negócios do mesmo segmento atendendo o mesmo público. Nesse caso, a empresa que possui uma marca bem desenhada, processos e serviços bem definidos, um posicionamento claro e expresso de uma forma efetiva na sua comunicação, acaba conseguindo se destacar melhor das demais, obtendo maior probabilidade de lembrança positiva e fidelização de seus clientes. Tudo isso pode ser alcançado pelo design.

 

Sabendo que todas as empresas concorrentes trabalham com a mesma solução para curar a dor dos seus consumidores, o grande desafio nesse contexto é conquistar a atenção do público, e é nesse momento que o design entra como uma grande estratégia para essa questão, oferecendo um posicionamento estratégico, uma identidade que reflita os valores e a expressão da personalidade desse negócio para apresentar-se da melhor forma para o mercado, e um branding bem construído para despertar uma conexão única com seus clientes, afastando-se da concorrência e aproximando-se de seu público.

 

Mas não é só isso: o autor Marty Neumeier em seu livro “A empresa orientada pelo design”, defende que a linguagem do design deveria ultrapassar questões como a marca, os produtos, os serviços, e ser usada como modelo do próprio sistema de gestão da empresa. Ele defende que os gestores, líderes e tomadores de decisão da empresa, usem a metodologia do design - não é à toa que vimos ao longo dos últimos anos cada vez mais CEOS que são designers assumindo papéis estratégicos dentro das companhias. - 

 

“Se uma empresa deseja ser capaz de gerar o tipo de experiência que direciona nossas mentes e inebria nossos corações, não apenas uma, mas várias vezes, ela não pode limitar-se a contratar um designer. Ela precisa pensar como um designer, ter a sensibilidade de um designer, trabalhar como um designer.”


Marty Neumeier

 

A partir disso, podemos compreender o design como um universo amplo que abrange diversas áreas e diferentes campos de atuação que trabalham para agregar valor às empresas. Nesse contexto, os negócios que enxergam o design como um investimento e não como um custo, tendem a ter suas raízes mais firmes no solo do mercado, obtendo um posicionamento mais alinhado com a essência da sua marca, despertando a atenção do público e criando memórias mais duradouras na mente dos consumidores.

 

“Bom design vicia, porque dá bons resultados”


Gilberto Strunck

 

Visualizando o micro e o macro, é possível enxergar bons resultados obtidos através de um olhar de designer para perpetuar sua marca na mente e no coração das pessoas. Não à toa, é possível identificar um número considerável de cases de sucesso com empresas reconhecidas e bem sucedidas financeiramente, que colocam o design no centro de sua estratégia com ótimos resultados. 

 

A Rede Design do Brasil apresenta o desenho a seguir da “Escada do Design”, onde mostram os degraus da influência do design nas empresas:

 

1. Não usam o design;

2. Usam o design por estilo e aparência;

3. Integram o design no processo de desenvolvimento;

4. Consideram o design como um elemento estratégico chave.

 


A Apple é o case mais conhecido de empresa que adotou o design como centro do negócio, mas outras empresas, como o Nubank, por exemplo, também é reconhecida por colocar o design como centro estratégico dos seus negócios. Crescendo exponencialmente desde 2014, mesmo sendo uma empresa bancária, segmento comumente associado a valores tradicionais e com baixa conexão emocional com seu público, o Nubank conseguiu reverter essa lógica de mercado e ser amada por milhares de pessoas. Isso mesmo: uma instituição bancária conseguiu ultrapassar as barreiras da conexão emocional com seu público, mesmo trabalhando com assuntos burocráticos associados com cobrança, graças ao uso do design! 

 

Para conquistar esse grande feito em sua história, o Nubank relatou em uma matéria que abraçou a principal tendência de consumo da nossa era através do lema “compramos experiências, não produtos”. A partir disso, nasceu com a proposta de descomplicar os serviços financeiros, entendendo desde o início que a sua principal força seria o design da experiência de clientes, com adesão da filosofia ‘design centric’ desde o início da sua trajetória, demonstrando com isso um grande diferencial competitivo.

 

Por fim, podemos constatar que o design vai muito além de um layout bonito e uma boa diagramação: o design utilizado como centro estratégico dos negócios pode ser o início de uma grande trajetória de sucesso lucrativo, despertando conexão com seu público através de experiências multissensoriais.

 

Em tempos de IA e outras ferramentas que facilitam e simplificam o processo de criação da parte visual da comunicação da marca, é comum pensarmos que a contratação de designers se tornou algo mais fácil e barato. No entanto, é preciso estar alerta aos resultados medianos que não promovem crescimento efetivo, sendo importante ter consciência de que apenas uma construção de branding com uma estratégia bem desenvolvida se destaca na multidão de marcas e empresas que existem no mercado.

 

Quer se diferenciar com uma estratégia de branding fortalecida através das metodologias de design? Entre em contato e saiba como a Néktar pode fazer isso pela sua marca ou empresa.

 


 

14 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page